Sus(pirar)

A palavra “inspiração" vem do verbo, em latim, inspirare que, por sua vez, no tempo clássico do Império Romano, recebeu o significado de “respirar profundamente” e, então, ao meu ver, inspirar é quase uma espécie de suspiro. Vale dizer que primeiro aprendemos a respirar, mas a vida trata logo de nos ensinar a suspirar. Como bem li por aí, "a vida é um pêndulo entre suspirar e respirar fundo” e, por isso, não dá para perder tempo suspirando como um idiota.

#Garminselfie, pódio, troféu e uma boa e, quem sabe, photoshopada barriga? Prefiro suspirar ao perceber que um pace 3’ significa apenas mais rapidez que um pace 8’, que quilos a mais estão longe de ser problema para quem quer dar adeus ao sedentarismo e que, definitivamente, treino bom é treino feito. Pódio e troféu têm valor imensurável, mas, sinceramente, os primeiros cinco quilômetros, seja lá de quem for, literalmente, me inspiram. Não dá para pirar, os suspiros por pequenas coisas, com certeza, se tornam grandes o suficiente para serem estímulos em forma de exemplos! Não sou atleta de elite, não tenho biotipo e nem genética para tal, mas tenho vontade de provar para mim mesma que posso fazer aquilo que gosto, sem que tenha que provar nada para ninguém. No fundo, não quero ser exemplo a ser seguido, mas, ao mesmo tempo, quero mostrar que, da sua maneira, todo mundo pode, basta acreditar e correr atrás - e isso não é necessariamente uma metáfora.

Às vezes e infelizmente, a inspiração surge de motivos tão over e deixamos de lado a maior das inspirações; o próprio umbigo - sem que haja qualquer ligação com o egoísmo! De acordo com a Larissa Ramos, diga-se de passagem, por quem vale a pena suspirar, o primeiro e maior suspiro deve vir da busca do seu melhor, simples assim. Para você e por você, treine, dê o seu melhor e viva a vida no seu próprio pace.

blog Zerovinteum | Um beijo, Dani Germano
Dani GermanoComment